História da Cachaça

A Cachaça é o mais brasileiro dos destilados. Ela começou a ser produzida por volta de 1530, pelos recém chagados colonizadores portugueses, que trouxeram a cana de açúcar das Ilhas de Açores e da Madeira. Os primeiros engenhos que se tem notícia, foram montados em cidades litorâneas como São Vicente (SP), Paraty (RJ), e no interior dos estados de Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Por ser um produto genuinamente brasileiro, só é Cachaça se for elaborada aqui no Brasil. Pela lei, sua graduação alcoólica deve ficar entre 38 e 48% em volume, a 20°C, obtida da destilação do caldo da cana fermentado.

Nas últimas décadas, temos acompanhado mudanças impactantes na produção e elaboração de cachaças de alta qualidade, com novos engenhos e outros que unem a tradição secular e tecnologias modernas, trabalhando dentro de rigorosos padrões técnicos, respeitando as melhores práticas produtivas.

Convidamos você, para vivenciar nestes dois dias de SALÃO DE NEGÓCIOS E CONGRESSO BRASILEIRO DA CACHAÇA, uma verdadeira caminhada sobre o universo fascinante desta bebida, contribuindo para o seu aprimoramento, valorização e consolidação histórica.

A cachaça em números

A Cachaça, consagrada como brasileiríssima, é apreciada em diversos cantos do mundo e
representa nossa cultura.

O segmento produtivo da cachaça traz notícias animadoras quanto a seu mercado consumidor. Por um lado, espera-se que cada vez mais brasileiros, passem a valorizar o produto como a bebida típica nacional. Nesse aspecto, o perfil atual de consumidores deixou de vincular o produto à ideia de bebida desvalorizada e de baixa qualidade, sendo comparada aos melhores destilados do mundo.

O contexto atual da cachaça conta com características peculiares. O mercado acompanha a consolidação da Indicação Geográfica (IG) e o momento da operacionalização dessa ferramenta. Além disso, o setor tem alcançado maior valorização no mercado interno.

De acordo com os dados do censo agropecuário do IBGE de 2017, o Brasil conta com mais de 11 mil produtores de cachaça, sendo que a maioria ainda vive na informalidade, tendo apenas 1.500 produtores com registro no Ministério da Agricultura.

O setor faturou no país mais de 10 bilhões de reais em 2017. Foram exportados 8,74 milhões de litros do destilado com geração de receita de 15,8 milhões de dólares. Os números representam o crescimento de 13,43% em termos de valor, em ralação a 2016.

A cachaça ocupa a 2ª lugar entre as bebidas mais consumidas no país e o 3º lugar entre os destilados mais consumidos no mundo. Considerando-se as bebidas destiladas, em volume, o produto ocupa a 1ª posição no Brasil.

Chamada por diversos apelidos, a cachaça é considerada patrimônio histórico e cultural do país.